Uma jovem com nódulo pulmonar


 Os Casos Clínicos da Semana são casos fictícios, publicados aos domingos. As respostas são publicadas na semana seguinte, juntamente com um novo caso. Os comentários podem ser publicados em nossa página do Facebook ou na caixa de comentários abaixo. 
 

Uma paciente com 29 anos de idade é encaminhada para avaliação por apresentar um nódulo pulmonar solitário à radiografia simples de tórax.

Nódulo pulmonar solitário em pulmão esquerdo (seta), incidência póstero-anterior. Fonte: Imaging Science Today. Reprodução permitida com restrições.

 

A paciente nega qualquer patologia e fuma 10 cigarros ao dia há 5 anos. O exame físico e os exames de laboratório são normais. À tomografia computadorizada de tórax, o nódulo mede 2 cm no maior diâmetro, tem limites bem definidos e calcificações “em pipoca”. Não há outros nódulos visíveis.

Nódulo único de pulmão

Tomografia computadorizada axial do tórax mostrando lesão de baixa atenuação com calcificação "em pipoca". Imaging Science today. Reprodução permitida com restrições.

Qual o provável diagnóstico?

Resposta

O diagnóstico mais provável é o de hamartoma pulmonar, fortemente sugerido pela presença de calcificação “em pipoca” e pelos limites bem definidos da lesão.

Os hamartomas são neoplasias benignas responsáveis por 6 a 10% dos nódulos pulmonares solitários. Acometem pacientes entre a 3a. e 5a. décadas de vida, homens com maior frequência, e costumam ser assintomáticos e achados incidentais.

Possuem aspecto histológico heterogêneo, com elementos maduros mas desorganizados: cartilagem, gordura, músculo, tecido fibroblástico e calcificações esparsas. Em mais de 90% dos casos, a localização é periférica. Excepcionalmente, possuem localização endobronqueal e podem ocasionar tosse, hemoptise ou febre.

Hamartoma pulmonar - histologia

Hamartoma pulmonar (branco/amarelo) circundado por tecido pulmonar normal. As áreas amarelas correspondem a gordura e as brancas, cartilagem. Fonte: AFIP Atlas of Tumor Pathology. Reprodução permitida com restrições.

 

À radiografia simples de tórax e tomografia computadorizada de tórax, apresentam-se como nódulos bem delimitados, habitualmente periféricos. A tomografia computadorizada da lesão pode mostrar áreas de gordura em alternância com áreas de calcificação, sinal bastante característico destas lesões.  A presença de calcificações “em pipoca” é patognomônica da lesão e pode ser vista tanto à radiografia simples quanto à tomografia, porém está presente em menos de 10% dos hamartomas.

O tratamento de um hamartoma assintomático é conservador. Seu crescimento pode ser acompanhado com tomografias seriadas.

Ost D, et al. The solitary pulmonary nodule. N Engl J Med. 2003;348(25):2535. Link para o resumo do artigo.

Gjevre JA, et al. Pulmonary hamartomas. Mayo Clin Proc. 1996;71(1):14. Link para o resumo do artigo.

Gaerte SC, Fat-containing lesions of the chest. Radiographics. 2002 Oct;22 Spec No:S61-78. Link para o artigo. 

 

 

out 23, 2011 by

Envie seu comentário (não utilize este formulário para envio de dúvidas)

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>