Síndrome de Alice no País das Maravilhas (Síndrome de Todd)


(John Todd,  psiquiatra inglês, 1914-1987): Também conhecida por síndrome de Todd, a síndrome de Alice no País das Maravilhas é um distúrbio no qual o paciente relata distorções da noção de espaço e tempo e distorções visuais bizarras (metamorfopsia). Nas distorções visuais, o paciente percebe objetos como sendo maiores, menores ou de cor diferente do que realmente são. Apesar de ser mais comumente associada à enxaqueca, a síndrome de Alice no País das Maravilhas pode ocorrer em associação a diversas condições, como mononucleose infecciosa, encefalite viral, epilepsia, meningoencefalite, mononeurite, síndrome de Guillain-Barré e secreção inapropriada do hormônio antidiurético.

A síndrome recebeu esta denominação devido à semelhança entre a percepção de distorção corporal relatada pelos pacientes com distorções visuais e temporais de Alice, protagonista do livro “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carroll. Devido à sua próxima associação com enxaqueca, alguns autores sugerem que o próprio Lewis Carroll possa ter sofrido da síndrome e usado sua própria experiência com as manifestações do distúrbio como base para as descrições bizarras e inexplicáveis relatadas no livro.

Síndrome de Alice no País das Maravilhas ou síndrome de Todd

A Rainha Vermelha aparece na adaptação para o cinema do livro de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas. A personagem é vista como tendo cabeça desproporcionalmente maior do que o resto do corpo.

A fisiopatologia da síndrome de Alice no País das Maravilhas não é conhecida. Alguns acreditam que as manifestações estejam vinculadas a uma redução do fluxo sanguíneo para partes específicas do cérebro.

Síndrome de Alice no País das Maravilhas ou síndrome de Todd

 

Síndrome de Alice no País das Maravilhas ou síndrome de Todd

Simulação de metamorfopsia, como observado por pacientes com síndrome de Alice no País das Maravilhas. Imagem: migraine-aura.org/

 

J. Todd. Syndrome of Alice in Wonderland. Canadian Medical Association Journal, Ottawa, 1955, 73: 701-704.

Restak RM. Alice in migraineland. Headache. 2006 Feb;46(2):306-11.

Evans RW, Rolak LA. The Alice in Wonderland Syndrome. Headache. 2004 Jun;44(6):624-5.

Lahat E, et al. Abnormal visual evoked potentials in children with “Alice in Wonderland” syndrome due to infectious mononucleosis. J Child Neurol. 1999 Nov;14(11):732-5. Link para oresumo do artigo.

Lahat E, et al. “Alice in Wonderland” syndrome and infectious mononucleosis in children. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 1990 December; 53(12): 1104. Link para o artigo.

Cinbis M, Aysun S. Alice in Wonderland syndrome as an initial manifestation of Epstein-Barr virus infection. Br J Ophthalmol. 1992 May;76(5):316. Link para o artigo (acesso livre).

nov 3, 2012 by

Envie seu comentário (não utilize este formulário para envio de dúvidas)

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>