Diagnóstico e Tratamento do Hipotireoidismo


Dras. Maria Heloisa B. S. Canalli, Tanise B. Damas e Jordana B. Daltrozo

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

 

DIAGNÓSTICO DO HIPOTIREOIDISMO

 

AVALIAÇÃO INICIAL DO HIPOTIREOIDISMO: Na presença de sinais e sintomas sugestivos de hipotireoidismo, dosar inicialmente TSH.

AVALIAÇÃO DE NÍVEIS SÉRICOS DE T4 LIVRE: Em casos suspeitos de hipotireoidismo central ou na presença de níveis elevados de TSH, dosar T4 livre para estabelecer diagnóstico de hipotireoidismo. A dosagem de T3 é desnecessária, pois em cerca de 30% dos pacientes com hipotireoidismo os níveis de T3 estão dentro da faixa normal, já que a redução dos seus níveis sucede a queda do T4 (4).

HIPOTIREOIDISMO CENTRAL: Após confirmada a sua ocorrência, investigar eixo hipotalâmico-hipofisário com ressonância nuclear magnética e dosagens séricas de hormônio de crescimento (GH), cortisol, hormônio luteinizante (LH), hormônio folículo estimulante (FSH) e prolactina.

PRESENÇA DE NÓDULO À PALPAÇÃO: Investigar com ultrassonografia de tireoide; se confirmada a presença do nódulo, analisar necessidade de punção aspirativa com agulha fina.

OUTROS EXAMES: A ultrassonografia da tireoide também pode indicar a presença de tireoidite de Hashimoto quando mostra hipoecogenicidade difusa importante do parênquima, com ou sem a presença de pseudonódulos. O Doppler pode apresentar aumento importante de fluxo sanguíneo da glândula. Tais características ultrassonográficas podem ser observadas precocemente, indicando que a etiologia é a tireoidite de Hashimoto, mesmo que o paciente não tenha ainda hipotireoidismo manifesto.

 

EXAMES COMPLEMENTARES (Tabela)

 EXAME  INDICAÇÃO  RESULTADOS CONFIRMATÓRIOS  OBSERVAÇÕES
Hormônio tireoestimulante, soro Todos os pacientes Hipotireoidismo primário: Níveis elevados.Hipotireoidismo central: Níveis reduzidos, normais ou discretamente elevados. Caso os níveis de TSH estejam elevados, solicita-se T4 livre. Em alguns casos de hipotireoidismo de origem hipotalâmica, há secreção de moléculas de TSH com padrão de glicosilação anormal e bioatividade reduzida, porém com atividade imunológica nos ensaios de TSH, resultando em níveis paradoxalmente normais ou discretamente elevados (<10 mU/L) (4).
Tiroxina livre, soro Na presença de TSH elevado ou suspeita de hipotireoidismo central. Hipotireoidismo clínico: Níveis reduzidos.Hipotireoidismo subclínico: Níveis normais.
Anticorpo antitireoperoxidase, soro Suspeita de doença tireoidiana autoimune (7). Presença de anticorpos indica autoimunidade tireoidiana. A dosagem de anticorpos é realizada para confirmar o diagnóstico etiológico do hipotireoidismo. Não é sempre necessária e utiliza-se principalmente a nível acadêmico ou para realização de trabalhos científicos.
Ressonância magnética de sela túrcica Pacientes com hipotireoidismo central (7) Aumento de volume de sela túrcica ou presença de lesão em região suprasselar. Caso seja observada a presença de massa em região selar ou suprasselar, dosa-se hormônio de crescimento (GH), cortisol, hormônio luteinizante (LH), hormônio folículo estimulante (FSH) e prolactina.
Prolactina, soro Pacientes com hipotireoidismo central (7) Níveis abaixo do valor de referência sugerem hipopituitarismo; níveis elevados podem sugerir hipotireoidismo primário, compressão da haste, ou prolactinoma levando a hipopituitarismo. Caso os níveis de prolactina estejam fora do valor de referência, dosa-se hormônio de crescimento (GH), cortisol, hormônio luteinizante (LH) e hormônio folículoestimulante (FSH).
Hormônio de crescimento, soro Pacientes com hipotireoidismo central (7) Níveis abaixo do valor de referência sugerem hipopituitarismo.
Cortisol, soro Pacientes com hipotireoidismo central (7) Níveis abaixo do valor de referência sugerem hipopituitarismo.
Hormônio adrenocorticotrófico Pacientes com hipotireoidismo central (7) Níveis normais ou abaixo do valor de referência associados a cortisol basal baixo ou no limite inferior do normal deve levantar suspeita para pan-hipopituitarismo. Ocasionalmente, é necessária a realização de testes de estímulo do cortisol para melhor avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.
Dosagem de gonadotropinas (hormônio luteinizante e hormônio folículoestimulante), soro Pacientes com hipotireoidismo central (7) Níveis abaixo do valor de referência sugerem hipopituitarismo.
Ultrassonografia de tireoide Presença de nódulo palpável na tireoide (7) Presença de um ou mais nódulos; pode haver pseudonódulos associados. Conforme características dos nódulos, solicitar punção aspirativa com agulha fina e análise citopatológica. Ver também Nódulo de Tireoide. 

 

CONSENSOS E DIRETRIZES PARA DIAGNÓSTICO DO HIPOTIREOIDISMO

 

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

set 28, 2014 by

Envie seu comentário (não utilize este formulário para envio de dúvidas)

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>