Diagnóstico e Tratamento da Artrite Psoriásica


Revisão abrangente sobre aspectos gerais, manifestações, diagnóstico e tratamento da Artrite Psoriásica

Dr. Valderílio Feijó Azevedo

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

 

 

PONTOS PRINCIPAIS

DEFINIÇÃO: Artrite associada à psoríase cutânea. O quadro articular pode ocorrer concomitantemente à doença cutânea, ou mesmo, precedê-la.

CAUSA PRINCIPAL: Associação de fatores genéticos e ambientais desencadeando resposta imunológica.

QUANDO SUSPEITAR: Ocorrência de artrite na presença de psoríase cutânea ativa, ou história pessoal/familiar de psoríase.

APRESENTAÇÃO CLÍNICA: Inflamação de grandes ou pequenas articulações de maneira simétrica ou não, tenossinovites e/ou espondilite. Distrofia ungueal e dactilite podem estar presentes.

DIAGNÓSTICO (CRITÉRIOS DE CASPAR – Tabela): A ocorrência da doença é fortemente sugerida na presença de inflamação musculoesquelética (artrite, entesite, espondilite) e pelo menos três pontos nos seguintes critérios:

  • – Psoríase cutânea atual (2 pontos),
  • – História de psoríase (1 ponto),
  • – História familiar de psoríase (1 ponto),
  • – Dactilite (1 ponto),
  • – Neoformação óssea justa-articular (1 ponto),
  • – Fator reumatoide negativo (1 ponto),
  • – Distrofia ungueal (1 ponto).

TRATAMENTO: Anti-inflamatórios não-hormonais e, em casos refratários, drogas antirreumáticas modificadoras da doença (metotrexato, ciclosporina, sulfassalazina, drogas anti-TNF).


INTRODUÇÃO

Artrite associada à psoríase cutânea, com espectro variável de apresentação e gravidade. Sua etiologia está vinculada a uma predisposição genética associada a fatores ambientais que desencadeiam uma resposta autoimune com anticorpos dirigidos contra antígenos da derme e da membrana sinovial.

O quadro articular, na maior parte dos casos, ocorre após a doença cutânea, mas pode aparecer concomitantemente, ou mesmo precedê-la. Clinicamente, a doença se apresenta com inflamação de grandes ou pequenas articulações de maneira simétrica ou não, tenossinovites e/ou espondilite. Distrofia ungueal e dactilite (“dedo em salsicha”) podem estar presentes.

O diagnóstico é fortemente sugerido na presença de inflamação musculoesquelética (artrite, entesite, espondilite) e pelo menos três pontos nos seguintes critérios (Tabela):

  • – Psoríase cutânea atual (2 pontos),
  • – História de psoríase (1 ponto),
  • – História familiar de psoríase (1 ponto),
  • – Dactilite (1 ponto),
  • – Neoformação óssea justa-articular (1 ponto),
  • – Fator reumatoide negativo (1 ponto),
  • – Distrofia ungueal (1 ponto).

O tratamento é feito com anti-inflamatórios não-hormonais e, em casos refratários, drogas antirreumáticas modificadoras de doença (metotrexato, ciclosporina, sulfassalazina, drogas anti-TNF).

artrite psoriásica

Artrite psoriásica. Imagem: healthsolution.mobi

 

SINÔNIMOS DA ARTRITE PSORIÁSICA

  • Psoríase artropática
  • Psoríase artrítica

 

ETIOLOGIA DA ARTRITE PSORIÁSICA

 ETIOLOGIA   OCORRÊNCIA     OBSERVAÇÕES 
Genética (1) Comum Polimorfismo do TNF-alfa (2).
Ambiental (1) Comum Infecção (retrovírus ou bactérias Gram-positivas como o estreptococo, e mais recentemente o HIV), trauma articular (principalmente em crianças), tabagismo, peso corporal, uso de álcool. O uso de determinadas drogas, como beta-bloqueadores, lítio, inibidores da enzima conversora da angiotensina e inibidores da COX-1, está relacionado à ocorrência de flares.
Imunológica (1) Comum  São observadas alterações tanto da imunidade humoral (produção de autoanticorpos contra antígenos da derme e da membrana sinovial e presença de imunocomplexos circulantes) quanto da imunidade celular (subpopulações de linfócitos T ativados na pele e na membrana sinovial). 

 

CLASSIFICAÇÃO DA ARTRITE PSORIÁSICA

 CLASSIFICAÇÃO   BASE PARA A CLASSIFICAÇÃO  OBSERVAÇÕES
Oligoartrite assimétrica Poliartrite simétrica Acometimento de interfalangeanas distais Artrite mutilante Espondilite Apresentação clínica Poliartrite simétrica: Apresentação clínica mais frequente, apresenta quadro articular muito semelhante ao da artrite reumatoide, porém, pode acometer as articulações interfalangeanas distais, comumente não afetadas na artrite reumatoide.Oligoartrite assimétrica: Acomete grandes e/ou pequenas articulações; tenossinovites são comuns, caracterizando os “dedos em salsicha”, comumente não afetadas na artrite reumatoide.Acometimento de interfalangeanas distais: Acometimento exclusivo das articulações interfalangeanas distais, geralmente associada a lesões ungueais (“unha em dedal”).Artrite mutilante (< 5%): Embora poliarticular, é a forma clínica menos frequente e mais grave, acometendo geralmente indivíduos jovens, na 2a. e 3a. décadas de vida; afeta as pequenas articulações das mãos e dos pés, evoluindo para deformidades importantes, com encurtamento dos dedos.Espondilite: Os sintomas clínicos costumam ser indistinguíveis daqueles apresentados na espondilite anquilosante.

 

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

maio 27, 2012 by

Envie seu comentário (não utilize este formulário para envio de dúvidas)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *