Diagnóstico e Tratamento da Artrite Psoriásica


Revisão abrangente sobre aspectos gerais, manifestações, diagnóstico e tratamento da Artrite Psoriásica

Dr. Valderílio Feijó Azevedo

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

 

 

PONTOS PRINCIPAIS

DEFINIÇÃO: Artrite associada à psoríase cutânea. O quadro articular pode ocorrer concomitantemente à doença cutânea, ou mesmo, precedê-la.

CAUSA PRINCIPAL: Associação de fatores genéticos e ambientais desencadeando resposta imunológica.

QUANDO SUSPEITAR: Ocorrência de artrite na presença de psoríase cutânea ativa, ou história pessoal/familiar de psoríase.

APRESENTAÇÃO CLÍNICA: Inflamação de grandes ou pequenas articulações de maneira simétrica ou não, tenossinovites e/ou espondilite. Distrofia ungueal e dactilite podem estar presentes.

DIAGNÓSTICO (CRITÉRIOS DE CASPAR – Tabela): A ocorrência da doença é fortemente sugerida na presença de inflamação musculoesquelética (artrite, entesite, espondilite) e pelo menos três pontos nos seguintes critérios:

  • – Psoríase cutânea atual (2 pontos),
  • – História de psoríase (1 ponto),
  • – História familiar de psoríase (1 ponto),
  • – Dactilite (1 ponto),
  • – Neoformação óssea justa-articular (1 ponto),
  • – Fator reumatoide negativo (1 ponto),
  • – Distrofia ungueal (1 ponto).

TRATAMENTO: Anti-inflamatórios não-hormonais e, em casos refratários, drogas antirreumáticas modificadoras da doença (metotrexato, ciclosporina, sulfassalazina, drogas anti-TNF).


INTRODUÇÃO

Artrite associada à psoríase cutânea, com espectro variável de apresentação e gravidade. Sua etiologia está vinculada a uma predisposição genética associada a fatores ambientais que desencadeiam uma resposta autoimune com anticorpos dirigidos contra antígenos da derme e da membrana sinovial.

O quadro articular, na maior parte dos casos, ocorre após a doença cutânea, mas pode aparecer concomitantemente, ou mesmo precedê-la. Clinicamente, a doença se apresenta com inflamação de grandes ou pequenas articulações de maneira simétrica ou não, tenossinovites e/ou espondilite. Distrofia ungueal e dactilite (“dedo em salsicha”) podem estar presentes.

O diagnóstico é fortemente sugerido na presença de inflamação musculoesquelética (artrite, entesite, espondilite) e pelo menos três pontos nos seguintes critérios (Tabela):

  • – Psoríase cutânea atual (2 pontos),
  • – História de psoríase (1 ponto),
  • – História familiar de psoríase (1 ponto),
  • – Dactilite (1 ponto),
  • – Neoformação óssea justa-articular (1 ponto),
  • – Fator reumatoide negativo (1 ponto),
  • – Distrofia ungueal (1 ponto).

O tratamento é feito com anti-inflamatórios não-hormonais e, em casos refratários, drogas antirreumáticas modificadoras de doença (metotrexato, ciclosporina, sulfassalazina, drogas anti-TNF).

artrite psoriásica

Artrite psoriásica. Imagem: healthsolution.mobi

 

SINÔNIMOS DA ARTRITE PSORIÁSICA

  • Psoríase artropática
  • Psoríase artrítica

 

ETIOLOGIA DA ARTRITE PSORIÁSICA

 ETIOLOGIA   OCORRÊNCIA     OBSERVAÇÕES 
Genética (1) Comum Polimorfismo do TNF-alfa (2).
Ambiental (1) Comum Infecção (retrovírus ou bactérias Gram-positivas como o estreptococo, e mais recentemente o HIV), trauma articular (principalmente em crianças), tabagismo, peso corporal, uso de álcool. O uso de determinadas drogas, como beta-bloqueadores, lítio, inibidores da enzima conversora da angiotensina e inibidores da COX-1, está relacionado à ocorrência de flares.
Imunológica (1) Comum  São observadas alterações tanto da imunidade humoral (produção de autoanticorpos contra antígenos da derme e da membrana sinovial e presença de imunocomplexos circulantes) quanto da imunidade celular (subpopulações de linfócitos T ativados na pele e na membrana sinovial). 

 

CLASSIFICAÇÃO DA ARTRITE PSORIÁSICA

 CLASSIFICAÇÃO   BASE PARA A CLASSIFICAÇÃO  OBSERVAÇÕES
Oligoartrite assimétrica Poliartrite simétrica Acometimento de interfalangeanas distais Artrite mutilante Espondilite Apresentação clínica Poliartrite simétrica: Apresentação clínica mais frequente, apresenta quadro articular muito semelhante ao da artrite reumatoide, porém, pode acometer as articulações interfalangeanas distais, comumente não afetadas na artrite reumatoide.Oligoartrite assimétrica: Acomete grandes e/ou pequenas articulações; tenossinovites são comuns, caracterizando os “dedos em salsicha”, comumente não afetadas na artrite reumatoide.Acometimento de interfalangeanas distais: Acometimento exclusivo das articulações interfalangeanas distais, geralmente associada a lesões ungueais (“unha em dedal”).Artrite mutilante (< 5%): Embora poliarticular, é a forma clínica menos frequente e mais grave, acometendo geralmente indivíduos jovens, na 2a. e 3a. décadas de vida; afeta as pequenas articulações das mãos e dos pés, evoluindo para deformidades importantes, com encurtamento dos dedos.Espondilite: Os sintomas clínicos costumam ser indistinguíveis daqueles apresentados na espondilite anquilosante.

 

Conceitos Gerais Manifestações Diagnóstico Tratamento Acompanhamento

maio 27, 2012 by

Comments Closed